25.06.2020

Durante Junho inteiro, é celebrado o Mês do Orgulho LGBTQI+ e, já que o mês está chegando ao fim, reunimos 5 momentos que Miley Cyrus demonstrou seu orgulho em fazer parte da comunidade não só em falas ou declarações, mas também em ações para transformar as vidas de pessoas mais vulneráveis. Confira:

1.My Heart Beats for Love

Durante coletiva de imprensa em Maio de 2010 na cidade de Madri, Espanha, Miley declarou que sua principal inspiração para a faixa “My Heart Beats For Love”, presente em seu então próximo álbum “Can’t Be Tamed”, foi seu melhor amigo gay: “Escrevi para ele sobre como as pessoas podem julgar, então acho que é a moral que eu tenho e coloco nas minhas canções e acho que isso é importante, dizer para as pessoas não discriminarem e não julgar e apenas serem abertas ao mundo”.

Posteriormente, em 2011, Miley fez uma tatuagem do sinal de igual em suporte ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, declarando: “todo AMOR é igual”.

2.Happy Hippie Foundation

Em 2014, Miley apresentou a Happy Hippie Foundation, uma organização dedicada a encorajar jovens a lutar contra injustiças sociais contra grupos vulneráveis como jovens desabrigados e LGBTQI+. No ano de 2016, Happy Hippie e My Friend’s Place doaram “40.000 refeições, 20.000 lanches e 40.000 pares de roupas íntimas e meias” para crianças desabrigadas.

3.Doação gigante para luta contra AIDS

Em Outubro de 2014, durante o evento amfAR LA Inspiration Gala, Miley comprou uma fotografia de USD$300.000 durante leilão e ainda doou mais USD$200.000 para a Fundação Americana de Pesquisas contra a AIDS. “É muito importante para mim representar todas as pessoas porque tenho uma voz e quero começar um diálogo aberto sobre prevenção,” Cyrus disse durante o evento. “Obviamente não sinto vergonha de falar dessas coisas, especialmente com pessoas jovens”.

4.Vanguard Awards

O Los Angeles LGBT Center homenageou Miley Cyrus, Jane Fonda e Ron Nyswaner por suas contribuições para a comunidade LGBT em seu 46º Annual Vanguard Awards Gala em Novembro de 2015. Durante seu discurso, Miley falou sobre seu trabalho com jovens LGBT desabrigados: “Existem mais de 1.6 milhões de jovens desabrigados nos EUA todo ano, sendo 40% LGBTQ,” disse Cyrus. “E apenas em Hollywood, então estamos todos sentados com nossa comida em nossa frente e nossas roupas caríssimas, exitem mais de 6.100 desabrigados com menos de 24 anos de idade nas ruas todos os dias e mais de um entre quatro dessas pessoas já sofreram crimes de ódio devido a sua raça, orientação sexual ou identidade de gênero”.

5.Declarou-se pansexual

Em entrevista para a Paper Magazine, Miley falou mais aberta sobre sua sexualidade, declarando-se pansexual: “Estou aberta a tudo que for consentido e não envolva animais”. Ademais, durante entrevista com a Variety, Cyrus disse um pouco mais sobre sua luta para encontrar um termo com o qual se identificasse: “Durante toda minha vida, não entendi meu próprio gênero e sexualidade,” declarou. “Sempre odiei a palavra ‘bissexual’, pois até isso me colocava numa caixa. Nunca penso sobre alguém sendo um garoto ou uma garota. Além disso, minhas partes íntimas nunca foram sexualizadas por mim. Meu olhos começaram a se abrir pra isso na quinta ou sexta série. Meu primeiro relacionamento foi com uma menina”.

Todas as ações de Miley em prol da comunidade LGBTQI+ não começou recentemente. Em entrevista no podcast “RuPaul: What’s the Tee With Michelle Visage”, Cyrus revelou: “Eu era uma das únicas crianças da Disney que declararia abertamente apoio aos meus amigos gays e escreveria essas músicas. Ninguém podia falar sobre isso. Eu era jovem e ninguém falou isso. Sempre foi algo muito importante pra mim, encontrar o que importava pra mim.”

RuPaul: What’s the Tee? · Episode 194: Miley Cyrus, Alec Mapa, Ts Madison & Tiffany “New York” Pollard

Fontes: 1 | 2 | 3 | 4 | 5


Publicada por: Lucas Gomes
relacionado
30.07.2020
relacionado
23.07.2020
relacionado
16.07.2020
relacionado
09.07.2020
comente a postagem!