12.05.2020

Miley Cyrus é capa da nova edição da revista Wall Street Journal! Além de um photoshoot colorido, Cyrus também deu uma entrevista a revista onde falou um pouco sobre o Bright Minded, saúde mental durante a pandemia e seu novo álbum.

Confira a tradução completa abaixo.

Escrevendo, dirigindo e apresentando seu novo talk-show, tudo em isolamento, Cyrus achou um novo jeito de inspirar e animar seus fãs. O que isso significa para seu futuro?

Miley Cyrus primeiro alcançou a fama como adolescente, interpretando o papel principal em Hannah Montana, popular show da Disney que durou de 2006 a 2011. Na série, ela interpretou uma garota comum que secretamente é uma popstar. Então, quando ela entrou em seus 20 anos, Cyrus se tornou uma completa e crescida popstar, moldando a geração millenium com hits como “Wrecking Ball”. Desde o começo da crise do Covid-19, entretanto, a adulta de 27 anos tem experimentado um novo papel: apresentadora de talk-show. “É hilário que as pessoas chamam isso de talk-show quando é só uma live no Instagram,” Cyrus diz que o isolamento em sua casa em Calabasas, California, onde durante a semana às 11:30 da manhã ela transmite seu programa de entrevista Bright Minded: Ao Vivo com Miley, para seus 107 milhões de seguidores. O show também é enviado para seu canal no YouTube.

Usando seu iPhone, Cyrus transmitiu seu primeiro episódio no dia 16 de março, três dias após a Califórnia entrar em quarentena. Seu primeiro convidado foi seu próprio terapeuta, Dr. Daniel Amen, que conversou com ela sobre ansiedade em isolamento. A partir daí, Bright Minded decolou. “Eu comecei chamando de show, e todo mundo ficou tipo ‘Ok querida, vamos participar dessa sua fantasia,’” Cyrus diz pelo celular. “Aí, do nada, eu estou conversando com a senadora Elizabeth Warren!” Cyrus também entrevistou antigas colegas da Disney, como Demi Lovato e Selena Gomez, os atores Reese Witherspoon e Kerry Washington, o comediante Amy Schumer, e os músicos Alicia Keys e Elton John. Depois de 3 semanas iniciais de transmissão, ela tirou uma semana de folga e relançou o show no dia 13 de abril para focar nos “heróis”, incluindo José Andrés, o chefe fundador do World Central Kitchen; Dr. Oscar L. Maitas, um especialista médico interno que discutiu trabalhar em linha de frente da crise; e Shirley Raines, fundadora do Beauty 2 The Streetz, uma organização que providencia pintura de cabelo, maquiagem e banhos móveis para comunidade sem-teto na L.A.’s Skid Row.

Em Bright Minded, Cyrus e seus convidados discutem variados temas do programa BRIGHT MINDS do Dr, Amen: B é para “vantagens/pragas da mídia social,” R é para “fontes confiáveis,” I é “para inflamação,” N é para “pensamentos negativos,” D é para “dedicar 15 minutos para algo novo” e S é para “dormir.” Cyrus produz o show por sua conta e confirmou nenhuma receita de anúncio. Em cada episódio, ela tem lentamente adicionado elementos de um talk show. Em certo ponto, ela pediu conselhos para Ellen DeGeneres. “Eu mandei mensagem para Ellen e disse, ‘Você viu meu show? Acha que é legítimo?” Cyrus diz. “Ela me deu um resumo de tudo que eu não tinha, incluindo um ajudante e um DJ.” (Degeneres faz uma participação no episódio 6, quando Cyrus faz um tour pelo seu set de filmagem.) Cyrus está em quarentena com seus quatro cachorros, e ela mostrou um deles, um pastor de Shetland chamado Emu, como ajudante. Ela também gravou uma música de abertura, que toca enquanto passam montagens divertidas. “Um segredo meu é que eu escrevo vários jingles,” Cyrus diz. “É assim que eu me lembro de tudo.

Enquanto outras celebridades quebraram a quarentena (pesquise “Gal Gadot” e “Blunder Woman” pra terem ideia) Cyrus foi capaz de criar uma plataforma com conteúdo informativo e confiável. “Como sempre, Miley é pioneira e ela sabe como se conectar com as pessoas” disse o produtor premiado pelo Grammy, Mark Ronson. Cyrus participou da música dele, “Nothing Breaks Like a Heart”, em 2018. “Ela é extremamente inteligente e sempre a frente do seu tempo”.

Eu gosto de como o programa dela é natural. Eu sinto que as pessoas estão necessitando desse tipo de realidade agora. Não de uma coisa super produzida” – Selena Gomez

Selena Gomez descobriu o programa assim como todo mundo. “Aconteceu que eu assisti um dia e amei o que ela estava fazendo e eu queria ser uma das convidadas. Eu gosto de como o programa é natural” ela diz. “Eu sinto que as pessoas estão necessitando desse tipo de realidade agora. Não de uma coisa super produzida”. Gomez apareceu no episódio 15 e falou sinceramente sobre o seu diagnóstico de bipolaridade. Ela diz que não ficou surpresa de ver esse novo lado de Miley. “Miley nunca teve medo de enfrentar riscos ou de se colocar em risco. Esse seu novo papel se encaixa muito bem nela, e vocês podem dizer que ela está mesmo se divertindo”.

O Tonight Show apresentado por Jimmy Fallon fez um checklist das habilidades de Cyrus: “Ela sabe cantar? Confirma. Ela sabe atuar? Confirma” Ela sabe apresentar um talk show? Confere. Ela realmente sabe fazer tudo isso”.

Bright Minded se transformou rapidamente em uma plataforma para celebrar profissionais de saúde, atualizar os fãs sobre as novas medidas tomada pelo governo e defender as políticas públicas como registro de eleitores e mudanças climáticas. “Nós adicionamos informações até o último minuto, antes de entrar no ar, porque as notícias correm muito rápido. Eu tento ser uma fonte confiável de informações para meus seguidores e fãs” diz Miley. Ela também usou o programa para ressaltar as ONG’S que ela acredita ou para anunciar investimentos filantrópicos, como sua parceria com Lola para doar produtos de higiene feminina para abrigos de emergência em L.A. ( Cyrus tem se envolvido no ativismo há um tempo: sua fundação Happy Hippie, iniciou em 2014, e ajuda jovens LGBT+ que não possuem abrigo, por meio de vários programas no país todo).

Entretanto, Bright Minded está em pausa desde 17 de abril. Cyrus está planejando futuros episódios. “Esse programa tem evoluído profundamente, de um programa de escapismo da realidade para o oposto: não escapar, ou seja, se envolver profundamente com nossa comunidade” diz Cyrus, que conversou com a revista WSJ sobre esse processo. A entrevista foi editada e resumida para compreensão.

Derek Blasberg: Eu entendi que o conceito do programa surgiu durante sua sessão de terapia, no momento em que você percebeu o quão sortuda você é por ter alguém para conversar sobre sua saúde mental durante uma crise.

Miley Cyrus: Aconteceu exatamente isso. Como muitas outras pessoas, eu comecei a ficar ansiosa e com isso, comecei a ligar para meu terapeuta. Eu sei que estou em uma posição privilegiada e minha experiência com a pandemia não é a mesma que a maioria das pessoas no meu país e de todo o mundo. Então poder compartilhar os serviços dele (terapeuta) de graça e permitir que as pessoas tenham acesso à essa terapia, pareceu algo muito importante para mim.

Derek: Há quanto tempo você se consulta com o Dr. Amen?

Miley: Desde os meus 17 anos, quando comecei a ter crises de ansiedade. E você sabe que, na verdade, isso faz muito sentido: eu tinha uma rotina por conta da série (Hannah Montana). Desde os meus 12 anos eu ia, todos os dias, para o mesmo estúdio, dirigindo com o meu pai e eu sabia exatamente o que aconteceria na minha vida. Eu ia trabalhar às 8h30 da manhã, tinha minhas 3 horas de aula, colocava minha peruca, filmava minhas cenas e tudo mais. Quando Hannah Montana acabou, comecei a ter crises de ansiedade e acredito que seja porque eu não sabia o que fazer comigo mesma. Quando eu não estou usando minhas habilidades, minhas habilidades podem me colocar em problemas.

Derek: O Bright Minded é sua nova rotina?

Miley: Sim. Minha nova rotina é muito parecida com a rotina na qual e cresci. Não foi uma ideia nova de que eu teria um programa de TV e me conectaria com as pessoas. Eu na verdade fui uma anfitriã convidada no programa da Ellen. Eu estava literalmente na aula de yoga – não estou brincando – de ponta cabeça, e meu telefone tocou umas 150 vezes. E eu pensei o que poderia ter dado errado, atendi e Ellen me disse “Eu não vou conseguir apresentar o programa hoje.” Eu saí da yoga e fui apresentar o programa dela. Isso me deu um pequeno treinamento de como tudo funciona. Na verdade, quando fizemos o “Miley Week” (no The Tonight Show com Jimmy Fallon) foi quando fizemos o ensaio fotográfico de Las Vegas. Nós já tínhamos ideia do que passaria no programa aquela semana – eu estaria lá promovendo meu álbum – mas isso não parecia mais certo. Nós transformamos toda a pauta do programa para ser sobre política e votação. Nós convidamos Hillary Clinton e eu cantei músicas como “These Boots Are Made For Walkin” e “No Freedom” com Adam Sandler. Nós não fizemos aquela semana sobre promover meu álbum, porque naquele momento não era a coisa certa a se fazer e não era o que importava para mim. Às vezes, eu uso minha música e entretenimento porque isso promove um tipo de escape para as pessoas que gostam da cultura pop. Mas isso não está sempre à frente nas minhas prioridades.

Derek: Eu cresci idolatrando Oprah Winfrey e Diane Sawyer. Quem foram suas inspirações pra o programa?

Miley: Em algum lugar entre Cher e Oprah. Eu amo o programa da Cher pois eu amo a ideia de um programa de variedades, por isso meu programa envolve música também. Eu estou brincando sobre Ellen ter feito bullying comigo sobre ter música no meu próprio programa, já que a música é um dos modos que eu me comunico. Esse é um dos motivos que pra mim é tão importante ter outros escritores no programa, como Alicia Keys e Lili Reinhart, que leu dois dos seus poemas que estão no seu novo livro [Swimming Lessons, será lançado em setembro].

Derek: Alguma vez você ficou com medo de apresentar o programa?

Miley: Sim, porque eu não quero ser um pregador ou um professor. Eu quero aprender, eu quero escutar. Eu quero passar o microfone que estão nas minhas mãos para alguém que não tenha um. Ativistas locais que lutam por sua comunidade não tem essas plataformas, eu tenho e quero compartilhá-la. Eu sou muito, muito cautelosa com o que eu estou reivindicando, pois a única coisa que eu sei, é que eu não sei de tudo.

Derek: O programa cresceu rápido. Quando você percebeu que estava começando a ter influência? Quando a mídia se interessou?

Miley: Eu estou tão focada no programa, escrevendo a introdução, as perguntas, e tendo certeza de que sei todas as informações sobre o convidado, que eu não tenho muito tempo de ver como a imprensa estava recebendo o programa. Eu só sabia que minha comunidade tinha achado um lugar de paz. Selena Gomez me mandou uma DM e disse “Eu amo o que você está fazendo nessa plataforma, eu estou tão inspirada. Eu gostaria de conversar sobre minha história e falar sobre saúde mental”. Então, o pessoal que eu estava conversando agora, os ativistas, começaram a me mandar DMs dizendo “Hey, nós adoraríamos conversar sobre Skid Row, e nós gostaríamos de falar sobre indígenas, e queremos falar como isso vem afetando o meio ambiente”. Foi muito legal ver todo mundo vindo falar comigo por DMs. Quando minha comunidade, colegas e heróis locais, e ativistas começaram a me procurar. Eu sabia que eu tinha feito algo especial, que era o propósito, conectar pessoas.

Derek: É verdade que você combinou tudo por DM?

Miley: Eu estou ultimamente só nas DM’s. É desse jeito que eu tenho me comunicado e conseguido coisas por anos. Eu penso “Merda, eu deveria mandar uma DM para Reese Witherspoon. Ela provavelmente não vai responder, mas tudo bem” e então ela me responde e disse que adoraria me dar alguns minutos. Isso foi muito incrível, tanto com pessoas que eu conheço quanto com as que não conheço.

Derek: Alguém disse não?

Miley: Eu vejo algumas mensagens como “visualizadas” [e sem resposta], o que eu acho que é um não. E então eu mando um emoji sorrindo por tipo, 10 dias seguidos.

Derek: Até que eles finalmente te respondam?

Miley: A porta está sempre aberta! Eu tenho certeza de que as pessoas que eu estava chamando se sentiam do mesmo jeito que eu, o que, em minha experiência é tão raro que quase não parece certo falar sobre. Não é o covid-19 que estou vivendo. Minha vida foi obrigada a pausar, mas realmente não tenho ideia do que é essa pandemia. Eu estou confortável no meu espaço e sou capaz de colocar comida na minha mesa e sou financeiramente estável, e essa não é a história da maioria das pessoas. Eu tenho certeza que a maior empolgação de outras pessoas dizerem sim ao programa é porque não parece certo que celebridades compartilhem suas experiências. Porque não se compara.

Derek: Me fale sobre seu processo de produção do programa.

Miley: Eu sou muito temática. Eu amo acrônimos e jingles porque eles sempre comentam um tema. Hoje era sexta. F de sexta (Friday em inglês), mas F de futuro também, então falamos de ativistas incríveis sobre a mudança climática. Eu tive muito poder em convidar quando eu tinha “Women’s Wednesday” (quarta das mulheres) porque eu tinha Reese Witherspoon, Dua Lipa, Bebe Rexha e Hilary Duff. Você não entende o quão fã eu sou da Hilary Duff. Eu realmente me tornei o que sou porque queria ser o que quer que seja que a Hilary fosse. Então foi muito legal. Eu falei com a Reese sobre as mulheres empresárias, como é importante apoiar nossos pais e mãe, especialmente quando fundados por mulheres porque mulheres tem mais dificuldade em conseguir empréstimos de bancos, então se seus negócios desandam, vai ser muito difícil para elas voltarem a ser estáveis.

Derek: Alguém ajuda sua pesquisa?

Miley: Meu time da Happy Hippie Foundation está me ajudando a marcar e ensinar. É uma parte crítica do programa porque tem muita informação falsa e confusa por aí e no nome “Bright Minds”, o R é de “fontes confiáveis”. É impossível de me manter totalmente atualizada de tudo. Boas notícias é uma grande parte do programa também. Uma coisa que um dos meus convidados disse hoje é que quanto mais notícia ruim, mais as pessoas vão atrás de coisas boas para contrabalancear.

Derek: Você já ficou nervosa com alguma de suas entrevistas?

Miley: Ai meu Deus! Com Elizabeth Warren eu estava tão nervosa que até coloquei uma camisa de linho azul. Eu nem tenho uma camisa! Tudo no meu armário é estudado ou couro ou látex, querido. Então eu abri meu armário e pensei “O que vou usar para entrevistar a Senadora?” Esse foi meu principal problema, claro. Como vou servir a realeza política? Mas a maior parte do tempo é importante para mim usar o que a maioria das pessoas estão usando em casa. Estou no meu moletom e um tope, igual a todos. Só lavei meu cabelo duas vezes para o programa: para o Elton John e para a Senadora.

Derek: Já teve medo de perguntar algo a alguém?

Miley: Esse programa deixa as pessoas nervosas porque não são iguais aos outros programas de perguntas. É íntimo e você não tem o seu time quando está gravando em casa. Você não tem seu publicitário e seu glamour e todas as coisas. Você está deixando as pessoas entrarem no seu espaço e você está controlando a tecnologia e tudo isso. Sou protetora dos meus convidados, não importa o quão famosos são. Eu quero que as pessoas brilhem. Quero que seja uma plataforma em que as pessoas saiam dizendo por aí “meu Deus garota, se você tiver seu programa eu quero estar no seu sofá”. Neste caso não é literalmente meu sofá – eles estão em suas casas -, mas eu quero que as pessoas falem “hey, eu fui realmente eu mesma no programa”. Por exemplo, Millie Bobby Brown estava nervosa. Eu disse “se nós literalmente brincarmos com nossos cachorros por 30 minutos estarei feliz. Isso é apenas para te ver como a garota de 16 anos que você é porque eu estou tendo uma experiência completamente diferente de uma garota de 16 anos em casa com seus pais”. Eu queria a perspectiva real dela. Se isso significa brincar com o cachorro o dia todo e experimentar maquiagem, tudo bem por mim.

Derek: Eu vi que você perguntou à Paris Hilton se ela pudesse ter qualquer superpoder, qual seria? Eu quero te perguntar a mesma coisa.

Miley: Eu tenho uma engraçada e verdadeira. Minha engraçada é que eu entraria em qualquer lugar e pegaria qualquer fofoca que estivesse rolando. Uma pequena legenda aparecia embaixo na minha visão e eu saberia tudo o que está rolando em todos os grupos para que eu pudesse ser a pessoa mais curiosa do mundo. Tá ai o porquê eu serei uma ótima apresentadora de talk show, porque sou curiosa pra cacete. Mas, para meu verdadeiro superpoder, seria para as pessoas saberem seu verdadeiro superpoder. Gostaria de balançar uma varinha ou colocar uma coroa em alguém que sente que não é suficiente e então sentem que são. Essa é outra razão que eu queria começar o programa. Eu quero ser capaz de dar meu sensor de poder para outras pessoas. E sim, existem momentos que gostaria que alguém tivesse feito isso por mim na minha vida.

“Minha avó lidera meu fã clube. Ela é minha maior fã e ela não tem Instagram, então ela não vê o programa. Terei que colocar em VHS para ela”. – Miley Cyrus

Derek: Depois das primeiras semanas, você tirou uma semana e focou em “heroes”. Por que queria recomeçar?

Miley: Recebi tantos conselhos incríveis dos meus convidados e queria ser capaz de usá-los. Queria fazer exercícios de respiração que fui encorajada a fazer. Eu sinto que a primeira semana foi muito sobre o covid-19. Era baseado na pandemia e eu falava sobre isso, onde estavam nossas forças e problemas. Voltando, eu queria falar sobre depois do covid-19, quais seria os problemas? Crise em casa e instabilidade financeira: nada disso vai embora. Heather Carmichael, do My Friend’s Place, um abrigo para sem tetos em LA., disse “muitos desses jovens nem sabiam o que estava acontecendo porque suas vidas não mudam muito com isso. Eles nunca sabem quando vão conseguir comida, roupa limpa, um lugar para chamar de casa. Nada disso mudou em suas vidas.” Muitos desses problemas estão em destaque por conta do covid-19, mas eles já existiam antes e vão continuar a existir e ainda piorar.

Derek: Você teve uma boa fala em um de seus shows quando disse que não quer que as coisas voltem ao que eram antes; quer que as coisas fiquem ainda melhores no futuro.

Miley: Eu amei o que Shirley [Raines] de “Beauty 2 The Streetz” disse: “Esperanças e desejos são para bolos de aniversário e estrelas cadentes, mas isso não resolve os problemas.”

Derek: Em qual quarto você filma?

Miley: Esse quarto na minha casa era o quarto do glamour, mas eu raramente me glamourizava. Você me conhece: Eu colocaria adesivos no meu rosto e ficar assim por um dia. Mas transformei esse quarto num set de verdade. Foi muito divertido porque usei muitos materiais que já tinha. Nem todo mundo tem correntes de LED jogadas, e isso é porque eu preparo elementos dos meus shows na minha casa. Estou sempre fazendo arte. Eu amo me expressar com minhas próprias criações, então criei esse set com materiais que eu tinha, e eu inclusive estava encorajando outras pessoas a fazerem o mesmo em suas casas. Você sabe, pegue lenços velhos e crie uma guirlanda. Até mesmo se você recriar seu quarto com coisas que você já tem. É tão fácil se sentir estagnado todos os dias por estar no mesmo lugar, então arrumar novamente as coisas que você já tem, você dá uma nova vida.

Derek: Você filma lá sozinha?

Miley: Fico lá sozinha e eu queria que tivesse uma câmera espiã me filmando fazendo tudo. Aposto que seja hilário.

Derek: Você não é apenas a estrela do show, é quem organiza a agenda, produtora e cuida das câmeras.

Miley: Na verdade, eu até tenho uma jaqueta de produtora. É um casaco fofo que faz eu me sentir como se estivesse produzindo. Quando estou sentada em frente ao meu tripé e luz, e estou no meu celular recebendo todas as atualizações, é uma vibe completamente diferente. Então é tipo 3, 2, 1, e você está ao vivo. É divertido brincar com todos no programa: eu reabasteço todas as refeições, dou suporte, além de cuidar do cabelo, maquiagem e edição de som.

Derek: Sei que sua casa em Malibu foi destruída no incêndio de 2018. Onde você mora agora?

Miley: Estou em Calabasas. Estou ficando cada vez mais perto da casa da minha mãe. Sempre que me mudo, fico um pouco mais perto, esperando que ela me leve de volta.

Derek: Esse é o maior período que você ficou sem ver sua família?

Miley: Sim. E a mãe da minha mãe ainda está conosco. Tenho muita sorte e queremos que continue sendo assim, então não tenho conseguido visitá-la. Minha avó comanda meu fã-clube. Ela é minha maior fã e não tem Instagram, então ela não tem assistido ao programa. Terei que colocar tudo em VHS para ela. Mas ela é tudo pra mim. Ela vive num residencial para terceira idade, então não podemos ir visitá-la. É o maior tempo que passei sem ver minha mãe e minha avó.

Derek: Como você está lindando ficar longe da sua família?

Miley: Minha mãe [empresária Tish Cyrus] e eu praticamente ficamos no FaceTime do minuto que eu acordo até eu dormir. Eu amo que ela não tem nada para fazer; então ela tem que apenas sentar comigo toda hora, o que remete àqueles bons tempos! Meu pai [cantor, compositor e ator Billy Ray Cyrus] tinha dois BlackBerrys: Ele diz que dois Blackberrys são iguais a um IPhone, o que não é verdade. Então enviamos para ele um iPhone já programado com apenas um botão, que é o FaceTime, na tele principal.

Derek: Você contou para Jimmy Fallon que você não faz nada pela metade, então quando faz, você percorre o caminho inteiro. Você quer ser apresentadora de televisão algum dia?

Miley: Eu amo conectar com as pessoas. Tem algo especial quando você escuta as histórias de alguém que faz você perceber todas as peças de você mesma. Eu acho que foi isso que eu senti falta na minha vida, esses relacionamentos. Também amo entretenimento e encorajar pessoas para celebrar sua singularidade. Muito do que eu represento na minha carreira é individualidade e identificação de gênero e identificação sexual. Então sim, eu adoraria criar uma plataforma onde individualidade é destacada e é um lugar para boas notícias , luz, ativismo, otimismo e realce de pessoas fazendo um trabalho colossal que nem sempre ganham a atenção que merecem. Eu acho que tem um mundo onde eu poderia fazer tudo e ter tudo.

Derek: Você está trabalhando em música também?

Miley: Sim, eu meio que terminei meu álbum e estava pronta para ir com todos esses festivais, mas é difícil achar apropriado lançar música nesse período. Mas eu fiz um álbum que tem influência de Rock, por isso meu cabelo. Isso não foi apenas um corte aleatório de quarta-feira de Tiger King. Era para ir com a nova música, mas agora estou saindo por Calabasas com um corte Joe Exotic.

Derek: Qual é a primeira coisa que você quer fazer quando sair da quarentena?

Miley: A primeira coisa que eu quero é fazer é definitivamente abraçar minha mãe e meu pai quando derem o sinal verde que está seguro. Agora, minha mãe não vai chegar em nenhum lugar perto de mim.

Derek: Obrigado pela conversa Miley.

Miley: Essa foi a hora perfeita. Meu cachorro literalmente acabou de vomitar em todo lugar pelo chão, então eu tenho que ir limpar. Essa é a minha vida agora.



Tradução e Adaptação: Débora Brotto, Giovanna Bianchi, Lucas Gomes, Pedro Onofri e Welison Fontenele – Equipe Miley Cyrus Brasil


Publicada por: Miley Cyrus Brasil
relacionado
01.07.2020
relacionado
28.06.2020
relacionado
30.05.2019
relacionado
28.02.2019
comente a postagem!