Desde sua estreia no Disney Channel, Miley Cyrus se tornou a estrela pop mais ousada de sua geração. Junto com a aberta venda de sua imagem pública, música e aparência, Cyrus tem sido destemida em seu apoio a pessoas gays em todos os lugares como um membro orgulhoso da comunidade LGBTQ.

Desde assumir-se como pansexual até discutir sobre o fato de que seu casamento não anula sua identidade, a Billboard listou oito vezes que Miley Cyrus proveu ser uma super-heroína LGBTQ.

1.Princesa do orgulho e empoderamento

A canção “Inspired” tornou-se um hino não oficial do orgulho para uma geração de jovens militantes pelos direitos LGBTQ. Enredada em seus vocais roucos, Miley entrega uma música forte que destaca as lutas por igualdade. Com uma mensagem para encontrar força em si mesmo, a cantora desafia seus fãs a serem a mudança que desejam ver.

2.Pan & orgulhosa

Depois de muitos anos em defesa dos direitos LGBTQ, Miley Cyrus declarou sua pansexualidade — querendo dizer que o gênero e a sexualidade não são fatores em sua vida amorosa. O anúncio foi acompanhado de um ensaio trans-cêntrico para a Candy Magazine que deixou todos de queixo caído, literalmente.

3.Lenda do VMA

“Miley, what’s good?!” Miley Cyrus já teve muitos momentos memoráveis no VMA (nós nunca mais olharemos para um dedo de espuma do mesmo jeito?). Para encerrar a transmissão de 2015, Miley levou um time de drag queens numa performance exagerada para seu tributo a marijuana, “Dooo It”. Ela deu aos glamazons uma plataforma enorme, e dar ao mundo drag esse tipo de visibilidade é muito incrível.

4.Uma voz para a comunidade trans

Enquanto as contas de algumas celebridades no Instagram são cheias de fotos de viagens exorbitantes, a imagem de Miley pede mais do que uma simples curtida. Em 2015, Cyrus juntou-se ao Instagram para começar o #InstaPride, uma iniciativa para mostrar membros da comunidade trans. A parceria educou seus seguidores sobre as dificuldades enfrentadas por pessoas transgêneras.

5.Uma mulher numa missão

Em 2014, Miley apresentou a Happy Hippie Foundation, uma organização dedicada a mobilizar jovens para combater injustiças sociais contra grupos vulneráveis como a juventude LGBTQ e jovens desabrigados. Apesar de seu twerk e sua lambida no martelo possa receber mais atenção midiática, Miley reconhece seu privilégio e usa sua influência para impactar positivamente.

6. Ela coloca seu dinheiro no que apoia

A criança selvagam do pop causam tonturas ao chegar no amfAR LA Inspiration, em 2014, com uma vestimenta de couro, mas não foi embora antes de doar US$500.000,00 para organização de pesquisas pela AIDS. É a marca direta do ativismo da Miley que mantém todos falando e abençando-a por isso.

7.Casada e ainda parte da comunidade

Muitas pessoas ainda têm dificuldade de entender que estar num relacionamento com sexo oposto não anula a sexualidade diferente de alguém. Cyrus falou sobre essa questão numa entrevista para a Vanity Fair, na qual a estrela falou sobre ser pansexual e ainda ser casada com o ator Liam Hemsworth. “Estamos redefinindo, para ser franca, o que parece para alguém que é uma pessoa gay como eu estar em um relacionamento hetero,” ela disse. “Grande parte do meu orgulho e da minha idade está em ser uma pessoa queer.”

8.É melhor que trabalhe em Drag Race

Seguindo os passos de ícones como Lady Gaga e Christina Aguilera, Cyrus levou seu talento para as queens de RuPaul’s Drag Race. A superstar foi convidada para sentar-se ao painel de jurados no primeiro episódio da 11ª temporada do programa, exibido em fevereiro desse ano. Além de ter sido jurada, Cyrus também se infiltrou entre as concorrentes ao prêmio de US$100.000,00 e se divertiu muito assistindo ao lip sync de “Best of Both Worlds”. Sissy that walk, Miley!

Fonte: Billboard.com | Adaptação e Tradução: Lucas Gomes.