Miley Cyrus fala sobre sua música Malibu, maconha e Donald Trump em nova entrevista à 97.1


Miley concedeu uma nova entrevista para a rádio americana 97.1. A cantora falou principalmente sobre seu novo single, Malibu, e você pode conferir a mesma abaixo:

Miley Cyrus sabe que as pessoas possuem muitas opniões equivocadas sobre ela, mas isso nunca a impediu de viver sua própria verdade.

Ontem, dia 11 de Maio, ela lançou uma de suas músicas mais íntimas até hoje, Malibu, e instantaneamente chegou ao posto de #1 em 33 países.

“Eu estou muito animada que todo mundo está amando “Malibu”, porque é uma música tão pessoal que, como você disse, eu esperava que todos pudessem encontrar seu propósito nessa música e que ela não fosse apenas sobre a minha vida. É sobre o paraíso e a felicidade de todos,” ela contou a Carson Daly, da rádio 97.1.

“Malibu” é como uma carta de amor ao seu noivo, Liam Hemsworth, mas Cyrus também apontou que há um significado mais profundo por trás da letra.

“É definitivamente sobre amor. Se é assim, é assim, e a música diz “você me trouxe aqui e eu estou feliz que você fez isso”, e logo depois “porque agora eu estou tão livre quanto pássaros ao vento”. Porque agora, eu não estou presa dentro das grades de Hollywood onde eu não posso escapar de ninguém. Uma vez colocaram um drone no meu quintal, porque as pessoas não queriam me dar nenhuma privacidade e eu não poderia viver daquela maneira… e agora, eu encontrei essa liberdade em conseguir ficar… eu acho que as pessoas respeitam mais a minha privacidade porque eu criei limites.”

A cantora e compositora de 24 anos diz que você pode esperar para ouvir “um pouco de tudo” no seu próximo álbum, o qual ela planeja lançar ainda esse ano.

“Eu estava até perguntando ao Liam outro dia, porque alguns de seus amigos estavam perguntando para mim como eu explicaria sobre o que era o álbum e ele estava tipo “é como uma música legal que soa como ela, realmente não tem um gênero”. Todas as músicas são diferentes… não é um álbum country, mas eu acho que estou abraçando mais as minhas raízes do que antes. Tem mais coisas como “Jolene”, que vocês gostam.”

Cyrus anunciou seu novo projeto primeiramente em uma entrevista para a Billboard, que tornou-se viral após ela revelar que havia parado de fumar maconha há 3 semanas.

“Na verdade eu não anunciei isso. Eu fui questionada se eu queria fumar e tive que dizer que não podia”, ela explicou. “Eu acho que quando as pessoas trabalham, elas precisam estar focadas para serem capazes de realizar tudo que quiserem e é nessa fase que eu estou agora. Isso é, para mim, uma fase muito feliz, mas também, não é hora de brincar, é na verdade hora de eu ser muito clara com o que eu quero. E o que eu quero é ser capaz de dizer exatamente o que eu sinto”.

Não é porque Miley não está fumando agora que ela necessariamente desistiu da maconha para sempre.

“Nunca diga nunca”, com as palavras de Justin Bieber, ela brincou. “Eu não quero nunca que alguém possa me confrontar em alguma coisa, ou que ela possa me dizer ‘Bom, você disse isso e agora está fazendo isso!’.”

As críticas também atingiram Miley Cyrus quando, em sua entrevista para a Billboard, ela comparou a música de Ed Sheeran e John Mayer a “granola”. Ela foi bem rápida ao esclarecer que ela não quis dizer nada malicioso com seus comentários.

“Eu fui perguntada se era assim que meu álbum iria ser. E eu disse que eu faço um álbum inspirado no que eu ouço… eu escuto John Cash, Elvis… eu só estava dizendo que eu escuto o que o meu pai escuta, mesmo sabendo que na verdade, meu pai ama Ed Sheeran.”

Cyrus tem também palavras gentis a alguém que ela discordou no passado, o presidente Donald Trump. Quando Daly a perguntou se ela tinha mudado sua concepção, agora que Trump é o líder da nação, ela simplesmente disse, “Sabe, eu acho que aceitação é a chave. Eu acho que aceitar, superar, crescer… e eu acho que se responsabilizar por isso”.

Fonte | Tradução por: Giovanna Bianchi

 

Postado por Giovanna Bianchi
Em Entrevistas
7 meses atrás

/ Veja também
/ Comentários