Revistas

Confira a entrevista traduzida e completa para a LOVE Magazine

By fevereiro 2, 2014 No Comments

No começo eu não tinha certeza sobre Miley. Muitas pessoas não têm. Foi complicado escolher as roupas para a sessão, porque ela parece dividir a opinião tanto quanto uma marmite-esque. Muitas pessoas que eu respeito não queriam se envolver. Eles achavam que havia algo superficial sobre ela – perigosa, mesmo.

Mas então você a conhece. E ela é a mais charmosa e intrigante celebridade que eu já vi. Ela me lembra uma Drew Barrymore mais jovem – alguém que é muito sábia para a idade que tem, que viu muito gente entrar por uma porta e sair por outra (em seus longos 21 anos), e é tão perigosa quanto o meu coelho. Ela é extremamente brilhante – hipnotizante de fato .

Para ser honesta, eu refleti muito sobre a escrita de uma introdução a esta história. Eu não sinto que eu precisava defender a decisão de trabalhar com Miley só dizendo que gostaria dela – Marc Jacobs tinha me dito que eu a adoraria – e só porque eu gosto de Bangerz . Mas, em seguida, houve o furor em torno da internet dizendo que Miley supostamente sacaneou Beyoncé na entrevista a seguir. Ela nunca fez tal coisa: Beyoncé nem foi sequer mencionada. Nem ela e nem eu estávamos muito interessadas em sacanear ninguém – principalmente artistas tão talentosos quanto a Beyoncé. A vida é muito curta e, como diz Miley na entrevista: “Eu nunca disse nada de ruim sobre alguém“.

Além disso, ela adora moda: ela fica bem nela, ela gosta do que faz. Ela entrou no estúdio vestindo um top transparente de Margiela, estrelas cobrindo os mamilos, calças justas e pretas de vinil e botas de amarrar pesadas. Ela é alta e magra, e usa roupas muito bem – na verdade, ela deve usar mais delas com mais frequência. Sua escolha de música foi estranha e interessante, provavelmente influenciada por seu pai: incluiu “Tiptoe Through the Tulips” de Tiny Tim e “Ruler of My Heart” de Irma Thomas, ao lado de Lil’ Kim, como já era previsto. Ela também chegou para a sessão de fotos na hora e nunca deu um único telefonema ou respondeu mensagens em qualquer ocasião que eu trabalhei com ela – muitas modelos podem querer tomar nota deste nível de concentração e dedicação. Quando estávamos fotografando-a para a campanha de Marc Jacobs as fotos foram difícil de serem feitas porque tínhamos algumas garotas nas fotos e no set. Em um ponto David Sims agradeceu Miley por sua paciência, ao que ela respondeu: “Não há nada que eu iria preferir estar fazendo agora no mundo. Estou usando uma peça de Marc Jacobs em uma praia falsa em um estúdio em Los Angeles.” E ela realmente queria dizer isso. Então, aqui você tem Miley… A estrela perfeita. E hoje, e eu sou uma fã.

Katie Grand, 07 de janeiro de 2014

Miley Cyrus deixa o ensaio fotográfico de suas fotos para a capa da revista no preciso momento em que nós devemos nos sentar e conversar sobre seu ano de transição. Como já é popular dizer, 2013 viu Miley completar 21 anos se metamorfoseando de queridinha da Disney pra uma chave para o colapso da civilização ocidental, ou pelo menos a ala feminina pop dela. Talvez dada a enormidade dessa mudança percebida e a estrela querendo apresentá-la de forma clara para que o leitor perceba, o representante dela pergunta educadamente se eu me importaria de remarcar a entrevista para dois dias depois, portanto. Miley está sentindo falta de seus cães que ficaram em casa, em Los Angeles. Ela está cansada. Posso vê-la escutando, um pouco distraída, o cabeleireiro oferecendo-se para lavar a tinta vermelha em seu cabelo para o visual de hoje. Ela explica que ela pode fazer isso sozinha no hotel.

Na semana anterior, Miley viajou para fora de sua cidade, Los Angeles e já passou por Londres, Amsterdã e Berlim. Faltam oito dias para comemorar seu aniversário, que ela diz que vai comemorar por não fazer nada (“Eu sou o maior fracassada“), em seguida, fazer uma performance na noite seguinte, no American Music Awards. Ela iniciou este ciclo promocional ao receber o prêmio de Melhor Vídeo para a sua balada sensacional ‘Wrecking Ball‘ (“Eu nunca quis começar uma guerra, eu só queria que você me deixasse entrar“) no Europe Music Awards, em Amsterdã. Em um vestido prata Spandex ela fez uma performance de seu hit “We Can’t Stop” (“É a nossa festa, podemos fazer o que a gente quiser”; “É a minha boca que eu posso dizer o que eu quero“), enquanto dançava com uma anã. Ela recebeu o prêmio das mãos de Will Ferrell em um maiô branco brilhando e e um volumoso casaco de pele, arrancou um baseado de sua bolsa da Chanel e fumou ele no palco. A multidão gritou em aprovação.

Em Berlim, ela havia feito uma versão simples de “Wrecking Ball” no maior show pop da Alemanha, o Wetten, dass…? em um vestido Moschino vintage estampado em forma de morango, seu cabelo preso em dois coques. Talvez esperando que ela usasse sua nova faceta de pessoa malcriada, ela diz que os produtores de TV haviam sido aturdidos pelo conceito. “Eu estava tentando explicar a ele – em Inglês, e ele é alemão – por que o morango. Eu dizia: “O show inteiro foi construído em torno deste vestido de morango e seu conteúdo morango, que tem que ser.” E os rostos deles diziam tudo, era como se fosse “essa garota é doida”. Mas eu vejo que é o que vai reunir tudo e fazer de tudo uma história. Na minha cabeça eu fico tipo… os morangos estão estourando, por isso é como uma mistura de Fruit Ninja com o jeito como meu coração se sente. É profundo, mas engraçado.” Em Londres, fez uma apresentação no The X Factor e quis diminuir o grande e brilhante palco e transformá-lo em algo íntimo, a fim de parar de parecer outra má imitação de um palco do Oscar. Ela tem preparado uma direção vacilante arte, quadro a quadro, para o palco e trouxe uma referência de iluminação de estúdio dura, inspirada por seu vestido para a performance, um longo e dourado até o chão, feito por Marc Jacobs. A performance é reconhecidamente anti-glamourosa. Ele sentou-se perfeitamente imperfeita ao lado de seus atuais quadros de referência. No American Music Awards sua atuação girou em torno de um gatinho animado triste, lembrando um pouco Odd Future, o hip hop coletivo de Los Angeles, com quem ela compartilha um carinho por interpretações distorcidas da iconografia de desenho animado. O marco visual principal mais próximo à sucessão de estabelecer sessões de fotos em 2013 de Miley não foi o trabalho de suas companheiras do pop, mas a surpresa do sucesso comercial de Harmony Korine na exposição dos padrões de jovens em Spring Breakers. Entre eles, uma nova estética brutal está emergindo e tudo se parece com material de tese.

Como sempre acontece com estrelas da música pop no meio de uma intensa corrida promocional, Miley Cyrus está começando a ficar um pouco entediada com ela mesma. “Tudo é tão pensado, é cansativo“, diz ela. “Eu sinto como se eu já estive em todos os lugares. Houve uma noite em que eu estava no Jimmy Kimmel às 11 horas e, em seguida, eu estava no Good Morning America às seis da manhã. Tipo, literalmente, eu não dormi. Essa foi toda a piada: “Miley não vai dormir esta noite, por isso, veremos como ela é boa cantando depois de não dormir.

Na consciência popular, o 2013 de Miley foi definido por sexo, drogas e twerk. O poder viral de sua primeira performance pós-Disney no Video Music Awards da MTV no dia 25 de agosto foi surpreendente. Quando você vê esse momento de choque mundial, os produtores esperam que o truque venha ser realizado novamente e novamente. “Quando eu vou em programas matinais, eles – em vez de me dar um maldito bom-dia – já vê falando “Nós vamos fazer uma festa com twerking, e você vai julgar um concurso twerk!” Eu fico tipo: “Não, eu não vou fazer essa porra.” Você não pode me pagar o suficiente para fazer isso. Literalmente.” Mais tarde, ela se qualifica sobre isso. “Realmente, quando as pessoas pensam nisso, a primeira coisa que pensam é em mim, e eu sou apenas esta menina branca de Nashville que colocou um vídeo engraçado de mim mesma em uma dança num macacão. Então, as pessoas tornaram isso uma loucura. Por isso, é simplesmente insano quanto controle e poder insano é dado a você ao longo de um momento cultural, né? Eu acho que é por isso que as pessoas enlouquecem quando viram famosas.

Por estar encarregada das ideias criativas, Miley se sente mais bem equipada para explicar as tangentes de sua imaginação. Acostumada com o brilho falso da temporada de prêmios após temporada de prêmios pontuando seus anos da Disney, durante o qual ela assinou contrato com a gravadora da casa do Mickey Mouse, Hollywood Records, Miley traz testes de iluminação e temas para o palco em todos os lugares agora. Uma equipe pequena, ela selecionou pessoalmente, de sua idade, disposição e temperamento, manda as ideias direto de L.A. via e-mail para a criação de caóticos e errados novos cenários para inflamar seu instinto nas performances.

Você sabe, as pessoas ficam rindo e acham que é engraçado que eu digo que eu sou um grande feminista, mas o que em mim não é? Eu digo para as meninas: seja quem você é. Faça a porra que você quiser.

Supervisionar o elemento prático de trazer tudo isso para a vida é por conta de Diane Martel, a produtora/diretora que causou várias controvérsias em 2013 por dirigir o videoclipe de Blurred Lines, do Robin Thicke. Incubada no inexpressível, no puro perfeccionismo da fábrica de Cinderela dos sonhos da Disney, Miley Cyrus agora gosta que tudo seja um pouco fora do comum, para apresentar uma versão do confrontante feminismo que mostra o que as irmãs malvadas passaram, também. Quando nos sentamos dois dias depois, Miley explica claramente, razoavelmente e categoricamente que não houve figuras masculinas sombrias como Svengali em seu passado, instruindo-a sobre a melhor forma de projetar a posição de sua carreira ao ápice da satisfação comercial. “Não. Existem apenas pessoas me dizendo para não fazer o que estou fazendo“, ela explica seu processo. “Eu e Diane enviamos um e-mail com exatamente o que vai ser feito. Estamos tão obsessivas-compulsivas antes de eu fazer qualquer coisa. É por isso que vai ser um pouco diferente“.

Sobre seu cabelo, dois dias depois e a palavra é: o corante ainda não saiu. A reunião dessa tarde é sobre um assunto inesperadamente emocionante no hall de entrada do estúdio do The X Factor, no noroeste de Londres. Na frente dos portões de aço do Fountain Studios, há um bando de adolescentes gritando que se reuniram para declarar seu amor por Miley Cyrus e outros hóspedes para fazer um ensaio geral no Domingo, One Direction.

A primeira pessoa que eu vejo é Harry Styles saindo de um Mercedes com janelas escuras. Gary Barlow também trocou gentilezas enquanto caminhava rapidamente até seu camarim. Um mensageiro passa animadamente sobre a informação de que Kate Moss está na plateia essa noite. Sobre os chefes da Sony Records e ITV, ambos vieram para a ocasião. Em meio a toda essa bagunça, Miley Cyrus aparece através de portas giratórias usando leggings de látex, salto plataformas, um casaco de leopardo e um brinco de ouro em sua orelha esquerda. Ela está ostentando um turbante que apresenta um broche da Chanel ($4,000) na testa. “O cabelo não vai ser limpado. Ele mentiu!“, diz ela, embora pareça encantada com o chapéu improvisado por Grey Gardens e Gloria Swanson que ela estava usando para esconder o cabelo vermelho. “Você vai usar isso no palco?“, pergunta um de seus acompanhantes, indicando o turbante. Claro que vai.

Ela me acompanha até um trailer fora do estúdio, que está repleto de cheiro de maconha recém-fumada. Ela acende um cigarro e pergunta se eu gostaria de acompanhá-la para ver a banda One Direction fazer o ensaio geral, quando chegasse a hora. Parecia divertido. “Bom, você é gay“, respondeu ela. Não há ninguém com tédio na sexta-feira. Nas horas antes da apresentação, ela estava focada, alerta, pronta. Seu fluxo de conversação é rápido, agudo e não editado.

Seu raciocínio por trás de ser transparente com seus hábitos não fazem parte de sua coisa punk. A maconha agora é legal na Califórnia, de qualquer forma. “E não era como se fosse o Teen Choice Awards“, ela diz sobre o EMA. “Ok, neste momento, quantas vezes você já me viu fumar um baseado? Eu fumo maconha, e não me importo se você tirar uma foto de mim. É isso aí, sabe? Por que as pessoas vão continuar falando sobre isso se você é honesta?“.

Miley Cyrus rapidamente se estabeleceu na consciência popular como a estrela pop mais polêmica de sua era. Isso não era para ser assim. Ela nasceu Destiny Hope Cyrus em 23 de Novembro de 1992. O nome “Miley” foi uma derivação de ‘Smiley‘, um apelido dado por conta de seu temperamento infantil alegre. Ela nasceu apenas depois que seu pai, a estrela country de Nashville Billy Ray Cyrus, tinha desfrutado de um sucesso global com o irreprimível Achy-Breaky Heart. “Meu pai me disse que quanto mais você pisar na merda, mais ela fede. Então não dar a mínima, basicamente. Essa é a maneira de ele dizer isso“. Miley começou a fazer testes para trabalhos na televisão aos 11 anos. Ela foi suspensa pela primeira vez após retornar de uma viagem de filmagens no Canadá. “Eles me colocaram na ISS [suspensão escolar] e você tem que se sentar na sala do diretor e fazer o seu trabalho na frente de todos“.

O que ela fez? “Eu estava explicando um beijo francês para toda a classe. Eu vestida de Afrodite. Eu estava tipo ‘Eu sou a rainha do sexo! Eu amo ter filhos, bebês bebês bebês’ – tudo isso embrulhada em uma toalha. Chamaram meus pais e falaram tipo ‘Ela está fingindo ser Afrodite’, porque estava em uma aula de grego sobre mitologia, e de repente, eu estava toda vestida e fiz um vídeo. Isso foi realmente hilário. Eu tive que beijar um garoto num programa de TV, então eu voltei e eu estava tipo ‘Isso é tudo o que importa. A língua fica aonde deve‘.

A ironia de ela ser suspensa por explicar como usar a língua não está perdida na cantora. “Eu sei, é muito ridículo“. Ela não tem ideia do quão longa sua língua realmente é. “É isso“, diz ela, colocando a língua para fora. “Mas eu não posso tocar meu nariz. Isso não é estranho?“.

Aos 13 anos ela ganhou o papel principal em Hannah Montana. Miley interpreta Miley Stewart, uma estudante comum durante o dia que leva uma vida dupla como Hannah Montana, uma sensação pop, durante a noite. Ela ganhou seu primeiro Teen Choice Awards como estrela revelação em 2006 e se fixou rapidamente como um novo ídolo americano. Hannah Montana: O Filme estreou com números de grande sucesso, tendo 17,436,095 dólares em sua semana de estreia. Ela não assistiu ao primeiro episódio de Hannah Montana quando foi ao ar. “Eu não sei o motivo. Eu fiquei envergonhada?“. Sua irmã mais nova, Noah, de 12 anos, foi assistir reprises da franquia recentemente. “É incrível, mas é estranho porque isso não se parece comigo. Eu não posso nem imaginar o que estava na minha mente quando eu estava fazendo isso. Eu gosto de coisas mais secas, pessoas sarcásticas. Em um espetáculo infantil é tão oposto, é tão físico“.

Ela foi fotografada nua por Annie Leibovitz para a Vanity Fair. “Eu não queria voltar e mudar nada disso, mas uma coisa eu gostaria de fazer diferente: o fato de eu ter me desculpado“. Seus assistentes na época fizeram questão de um pedido de desculpas público para os fãs. “Tipo, por que eu tenho que publicar um comunicado dizendo que eu sinto muito por tirar uma foto com Annie Leibovitz?“. Sua determinação parece ter endurecido naquele momento.

Para Miley, o problema com Hannah Montana foi que o feminismo que apresentava caiu de pouco para nenhum. “Acho que isso é o que as mulheres são avisadas para ser e eu acho que estava seguindo isso porque eu tenho um estilista e um produtor de maquiagem e cabelo e eles são treinados a ser assim. Isso não é bonito“. Ela também tinha apenas 13 anos quando todo esse papo de feminilidade começou a ser aplicado. “Eu não sinto como se nunca quisesse que as pessoas sentissem que eu sei mais do que elas, mas eu sempre digo às pessoas que isso não é um concurso. Deixe-me parecer como eu e não vamos fazer isso de quem pode superar o outro com vestido, o cabelo, a maquiagem ou o que seja. É tão ridículo o quão divertidas as premiações se tornaram. Eu prefiro procurar parecer bonita na vida real do que no tapete vermelho. Na vida real? Isso é o que você é. Quem quer ir para casa e tirar o seu cabelo? Ou os cílios? Ou os peitos? Mas tire seu lindo vestido e você está incompleto. Sabe?“.

Seu contrato acabou com a Disney antes de ela ter escolhido filmar a última temporada de Hannah Montana, mas ela decidiu assinar pra essa temporada. Seus fãs mereciam um final apropriado para Hannah. “Eu me senti tipo, em vez de chatear todas essas pessoas que realmente me amavam, me deixar fazer aquilo por eles e fazer todos os episódios. Eles teriam um ano para repercutir e eu poderia relaxar e aprender a ser um ser humano.

Depois de embrulhar o seu episódio final, ela encontrou a válvula de pressão de seu sucesso. “Quando você passa dois anos fora da mídia, os paparazzi te deixam, as pessoas te deixam e eu podia finalmente andar por Los Angeles” Ela começou a andar pela Chuck’s Vintage Store em Melrose Avenue, aconselhando os clientes japoneses sobre as melhores peças de Ralph Lauren. Há uma sessão de fotos em topless da época em que ela estava se lançando na cidade. Ela ouvia a música que ela queria ouvir e cuidava de seus próprios assuntos. Ela se establizou com um namorado fixo, o ator australiano Liam Hemsworth, apenas dois anos mais velho que ela. Eles ficaram noivos.

Eu nunca falo nada de ruim sobre ninguém“, Miley diz. “Não vou fazer isso.

Miley Cyrus parecia exatamente como se ela fosse voltar de sua jornada pós-Hannah Montana na forma dessas contemporâneas princesas de Nashville modernas, Taylor Swift e Kacey Musgraves, facilitando seu caminho para o mercado adulto por escoltar cuidadosamente os pré-adolescentes junto com elas. “Oh, eu não podia “, ela disse. “Essa nunca fui eu. Não é como se fosse Shania, afinal. Eu só queria descobrir o que é a vida. Eu tinha alguém que me vestia todos os dias desde que eu tinha 13 anos. Eu tinha 11 anos quando comecei a fazer audições, 13, quando eu estava realmente fazendo isso e 18, quando tinha acabado.”

Sua nova liberdade encontrada combinava com ela. Ela optou por sair de seu contrato com a Hollywood Records e começou a montar um novo conjunto de canções para sua própria satisfação, fora de qualquer controle de rótulo. “Eu sou uma pessoa espiritual, mas eu não sou uma pessoa religiosa. Eu acho que há algumas coisas no mundo que podem fazer você acreditar em Deus e eu realmente acho que cantar é uma delas. Nunca há um momento em que eu me sinto infeliz em fazer isso.” A primeira canção que ela decidiu colocar no Bangerz, foi a balada de abertura esotérica “Adore You”, uma canção que lembra momentos mais lânguidos de Frank Ocean no canal Orange. Miley a escreveu na Filadélfia com a cantora de R&B formidável Stacy Barthe, “que é a melhor. Ela foi, na verdade, quem me fez querer cortar o meu cabelo. Eu estava sentada lá olhando para ela e eu fiquei tipo, “Você gosta de ter a cabeça raspada?” E ela estava tipo, “Vadia, eu estou sempre mostrando meu rosto. Sim. Sim. Quando você tem esse corpo, você tem que mostrar esse rosto.” Barthe estava no meio de um programa de dieta, tentando perder 100 kg em condição de obter o seu próprio recorde no mercado. “Logo que eu cortei o cabelo, eu me senti tipo, oh, eu posso jogar esse jogo agora. Acho que as pessoas deveriam ser quem são. É por isso que hoje no The X Factor eles ficaram tipo: “O quê? Você não vai passar maquiagem?” E eu disse: “Não, eu quero lavar meu rosto e não fazer nada”, porque é muito X Factor te deixar toda glamorosa. Eu não preciso dessas coisas. Faça merda, seu merda. Nossa vibração precisa ser um pouco caótica e um pouco fora do normal e um pouco menos séria. Acho que as pessoas deveriam ser quem são. “

Em 1850, o autor norte-americano Nathaniel Hawthorpe escreveu The Scarlet Letter, sua obra-prima de conjunto histórico no século 17 de Salém. Nele, sua heroína Hester Prynne é marcada com a letra ‘A’ depois de conceber uma criança através de um caso de adultério. Toda a cidade assiste a humilhação pública de Hester. Ao longo do livro, ela assume o manto de um emblema para o puritanismo estranho e moral da comunidade e da hipocrisia evidente. Sempre me surpreende que o livro não é mais referenciado no debate feminista contemporâneo divisionista em torno de charme de vagabunda. A analogia com a reação ao desempenho de Miley Cyrus em 25 de agosto de 2013 no VMA é demasiadamente estreita para não mencionar. Uma citação ficou na minha cabeça quando a li por meio de investigação antes de conhecer Miley. Realmente, há apenas tantas fofocas do TMZ que você pode percorrer, sem a busca de um contexto um pouco mais rico, mais amplo. “Ela foi a infâmia comum”, diz Hawthorne do Prynne, “em que toda a humanidade foi convocada para culpar.”

Você era?

“Certo, uh uh, exatamente”. Ela não vai ser arrastada para brigas pessoais com indivíduos que se jogam publicamente no círculo de criticar suas performances: a carta aberta de Sinead O’Connor, o vídeo de Lily Allen zombando, toda a campanha de marketing introduzindo a jovem cantora da Nova Zelândia, Lorde para o mercado global aparentemente sendo construída sobre o momento de oposição e oportunista de simplesmente não ser Miley Cyrus . “Eu nunca disse nada de ruim sobre alguém”, diz Miley . “Eu não vou fazer isso.” O que ela vai fazer é defender o seu próprio ponto na porta da sexualidade feminina jovem. “Você sabe, eu acho que a minha coisa toda, e o que eu tenho incentivado, é apenas por “eu estar sendo eu mesma.” Eu não acho que eu sou qualquer coisa. Eu só sei que é besteira e é por isso que eu não penso sobre isso, porque eu sinto que estou realmente fazendo alguma coisa. Eu estou falando para a minha geração jovem. “Eu não dou a mínima. Seja você, ao máximo.”

Ela mantém seus pensamentos rápidos, duros e impenitentes. Sua tenacidade é estonteante. Ela sabe que as críticas feitas à ela são largamente idiotas. “O que é tão louco para mim, e isso é loucura , é que a sexualidade é ainda tão ofensiva. As crianças precisam saber sobre a sexualidade. As meninas precisam estar confortáveis com isso. Você sabe, as pessoas riem e acham que é engraçado o fato de eu dizer que eu sou uma grande feminista, mas o que sobre mim, não é? Digo as meninas, para elas serem quem elas são. Fazerem a porra que elas quiserem”

Ela não acha que as críticas por sua transição venham diretamente de pessoas que não querem que suas princesas da Disney sejam ‘estragadas’. “Eu acho que é só porque não há mais ninguém fazendo isso, então eu sou a única sendo dura. Eu também estou fazendo isso nesta versão menos glamourosa do que as pessoas pensam sobre o que ser sexy deveria ser.” Quando você começar a pensar em Miley como uma lição de anti-bonita, ela começa a assumir o peso e importância. “Eu vou estar em uma tanga, mas não vai ser tanga da Victoria Secret com o meu cabelo até aqui e um rosto cheio de maquiagem. Como se eu estivesse indo de volta ao punk, há algo sexy nisso”.

Citações de quando ela estava promovendo Hannah Montana foram reprisadas para condená-la. “As pessoas sempre estarão tipo ‘Em um momento você tinha um anel que dizia que não ia fazer sexo até que você se casasse’. Isso foi tipo uma moda passageira”. Ela cresceu com isso. “Eu tenho certeza que os pais de tantas crianças as ouvem dizendo ‘Miley isso’ ou ‘Miley aquilo’. Mas então eles me veem. E eu acho que as crianças são as maiores detectoras de bobagens, porque elas sabem que eu não estou fazendo isso para tentar vender a porra do meu CD, o que não é realmente com que eu estou preocupada. Eu não vou sentar aqui e dizer a você o que eu fiz ou quantos álbuns eu vendi ou qualquer outra coisa. Eu não sei dessas merdas. Eu sei que vende pra caramba, mas eu não sei, porque eu não me importo com números”.

No final do tempo estipulado da entrevista, Miley Cyrus se aproxima de algo como sua mantra vida. “Eu acho que você pode escolher ser feliz e viver a vida de uma forma positiva, ou você pode não escolher. Eu vejo pessoas que se destacam e que têm pensamentos negativos, e elas nem sequer sabem que elas são negativas. Elas apenas dizem pequenas coisas negativas durante todo o dia e eu noto que as pequenas coisas negativas acontecem com elas o dia todo. Mesmo quando a vida me joga merdas eu tento apenas dar a volta e sorrir e encontrar algo engraçado com isso”.

As noites de performances no X-Factor vão perfeitamente. Se o propósito de Miley é confundir e enfrentar o léxico visual da fama pop contemporânea, ela parece fazer isso ali mesmo. Ela canta uma canção de amor brilhantemente brilhante. Ela nunca quis começar uma guerra. No entanto, na manhã seguinte , os escritores de manchetes, claramente se esforçam para encontrar um tamanho de banner para uma nova abordagem confusa didática, fresca ao pop contratado pela mulher mais procurada no Google, no mundo. O site da revista Heat opta por literalismo: ‘Miley Cyrus performa no The X-Factor usando um turbante’. ‘Infelizmente a estrela falhou na rebeldia’ – lamenta o Daily Mail Online.

Miley acrescentou sua própria sabedoria no Twitter: “Te criticam se você faz, te criticam se você não faz.”

Nós nunca conseguimos ver um ensaio da One Direction. Em vez disso, Miley me mostrou algumas imagens em seu telefone de ideias para a turnê que ela estava prestes a começar em toda a América, e que ela espera levar todo o mundo nos próximos três anos. Ela está animada com a proposta de ser acompanhada por sua estrela de abertura de shows, a rebelde do pop, Sky Ferreira.

“Ela é foda”, diz ela sobre Sky se juntar a ela. “Há algo sobre ela vestindo Saint Laurent com suas meias descasadas que é assim que uma opção para mim. Eu acho que a maioria das meninas… OK, sempre têm medo de garotas que dizem que não gostam de outras garotas. Eu sou uma dessas, então é a Sky. Não é que eu não goste de garotas, é que elas podem ser realmente falsas. Sky não é falsa e eu não sou falsa, então eu realmente gostaria de ter pelo menos uma garota que é foda assim. Se alguma coisa está uma merda, ela vai e fala: ‘Isso é uma merda.’”

O plano inicial nesta fase é para elas fazerem um dueto/cover de Hole, música de Stevie Nicks durante o show. Miley e Sky não são, talvez, as primeiras, mas pelo menos as mais notáveis ​​filhas do pop por terem aprendido tanto com a abordagem audaciosa de Courtney Love, confusa para os holofotes como uma impecável ambição controlada de Madonna. “Nós duas estamos em um momento em nossas vidas onde eu sinto que nós precisamos apenas pôr o pé na estrada e ter uma experiência musical novamente. Não pense nas gravadoras, não pense sobre a solteirice, não importa mais a venda de discos. Sky era a única que eu realmente queria que viesse, e foi só porque eu não quero ficar sozinha quando estiver, tipo em Oklahoma. Eu quero estar com a Sky”.

Miley e Sky são a primeira geração de estrelas pop que viram Britney Spears raspar a cabeça em um salão de beleza de Santa Monica, não como seu momento de loucura, mas como a primeira vez que houve uma luta por qualquer tipo de controle visual para trás sobre o modelo rígido do mundo pop no século 21. Miley compara sua amizade com Joan Jett e Cherie Currie de nos dias de ouro do The Blackhearts. “Eu acho que é divertido para brincar com isso.”

Quando ela se separou de seu noivo, Miley não se lembra do que ela fez com o anel de noivado. “Não sei. Eu acho que ele ainda está no chuveiro.” Ela não parece particularmente perturbada por ele. “Nós ainda nos falamos e nos comunicamos. Eu estava com ele desde que eu tinha 16 anos e nada nunca vai fazer isso ir embora. Eu conheci esse cara todo esse tempo e se não der certo eu ainda posso sorrir e amá-lo e ele pode me amar e isso é ótimo, essa é a maneira de ser. A vida é muito curta. Se você é chamado um dia e, Deus me livre, a pessoa não está lá, então a última coisa que você quer saber é que você teve o seu ego na frente de você. Se você ama alguém, o diga. Se você quer ser amigo de alguém, seja amigo dele.”

Ela está com sorte. “Não dê a mínima para o que alguém diz. Quebre as regras, porque é divertido e você vai se lembrar disso. Você não vai se lembrar do tempo que você sentou na sala de aula e não escreveu esse bilhete para o seu amigo que você queria escrever. Você vai se lembrar do tempo que você se meteu em problemas por escrever o bilhete para o seu amigo. Isso é tudo que eu lembro do ensino médio. Lembro de ter tido aula de culinária. Lembro de todas as boas merdas que eu tive que lembrar – e então eu me lembro de ficar encrencada, porque foi muito divertido. A primeira suspensão quando você é uma criança é divertido, porque agora você tem uma história realmente incrível para contar. Ficar encrencada era o melhor.”

Fonte: LOVE Magazine – Reino Unido

Via: MileyCyrus.bz

Tradução: Matheus Araújo, Henrique Silveira, Giovanna Bianchi e Elton Júnior – MCyrus.com.